Área reservada





  • Slide 7
  • slide4

História

1975 – Novas instalações

Em 1972 os pastores das Assembleias de Deus, decidiram na sua convenção nacional, convidar o missionário Samuel H. Johnson a fundar e dirigir um Instituto Bíblico em Portugal. Aceitando o convite, o pastor Samuel regressou a Portugal em Janeiro de 1974 juntamente com Gordon Bialik e respectivas famílias. A quinta Vale das Maias em Fanhões – Loures foi considerada ideal para a localização do Instituto. Assim com uma azáfama entusiástica, puseram-se mãos à obra e em finais de 74 e durante todo o 1975, construíram-se os primeiros edifícios e o jardim de oração, tendo também sido remodelados os edifícios já existentes, depois de uma árdua batalha legal para a compra da propriedade. Os primeiros alunos chegaram no dia 1 de Setembro de 1975 começando as aulas mesmo com as construções a prosseguirem. Vinte e cinco alunos concluíram o primeiro semestre, juntando-se-lhes outros em Janeiro, para o segundo semestre. A construção de edifícios continuou durante Janeiro de 1976. No dia 23 desse mesmo mês e ano, representantes das assembleias de deus da Europa, pastores de todo o Portugal e centenas de irmãos e irmãs, bem como amigos reuniram-se para o culto de consagração.

De 1975 até 1989 esta Instituição esteve ligada à Convenção das Assembleias de Deus, com o nome de Instituto Bíblico de Portugal - Monte Esperança , sendo a sua direcção luso-americana. Entretanto o funcionamento do IBP-ME continuou sobre total supervisão americana, ao passo que a Convenção Nacional decidiu criar outro Instituto. Durante este período foram directores do Monte Esperança: Samuel Johnson, Rolland Dudley, Duane Henders e Harry Osland.

Antes da fusão passaram pelo Monte Esperança 565 alunos.

1989 a 1995 – Um novo rumo

Em Janeiro de 1989, na Assembleia-geral Extraordinária da Convenção das Assembleias de Deus em Portugal, realizada em Setúbal, foi decidido fundar a Escola Bíblica Nacional.

Assim, foi eleita uma Comissão Instaladora integrada pelos Pastores: Luís Reis (Presidente), José Pessoa, Vieito Antunes, Delfim Cordeiro, José António Lourenço, Manuel Moutinho e Casimiro das Neves, por inerência, dado que foi nomeado para Director.

O Pastor Casimiro das Neves exerceu o cargo de Director durante o primeiro ano, tendo sido substituído pelo Pastor José António Lourenço que permaneceu até 2007.

Esta Escola foi instalada no Centro Bíblico, na Foz do Arelho, que em 14 de Setembro de 1998 foi designado "Centro Bíblico Pastor João Sequeira Hipólito", em homenagem póstuma ao seu fundador.

Nos primeiros dois anos, as instalações eram bastante precárias e exíguas. No entanto, a partir do terceiro ano foram introduzidas melhorias substanciais.

Também nos primeiros dois anos, só puderam ser admitidos alunos do sexo masculino, devido à falta de instalações para ambos os sexos. No terceiro ano, e já com as instalações ampliadas e melhor adaptadas, foi admitido o primeiro casal, e a partir do quarto ano, foram admitidas as primeiras alunas solteiras.

1996 a 1998 – Ampliação e Extensão Curricular

O curso, que durante os primeiros tempos era apenas de um ano, passou a ser de dois anos a partir de 1996. Assim, dá-se a distinção entre o Curso Básico e o Curso Complementar.

O Curso Básico, de apenas um ano, destina-se a preparar os alunos que desejam adquirir mais conhecimentos bíblicos e melhor servir o Senhor na sua Igreja local. O Curso Complementar, de dois anos, é obrigatório para todos os alunos que, com uma reconhecida vocação, desejam dedicar-se ao serviço cristão a tempo inteiro.

Em 1996 foi estabelecido um acordo bilateral com a EETAD do Brasil. Inicia-se então um Curso Básico de Teologia por Extensão, designado EBN-EETAD. Actualmente este curso comporta cerca de 40 núcleos espalhados pelo País, com uma frequência total de 650 alunos. O Pr. António Tavares de Oliveira é o Director da EETAD em Portugal.

A Escola Bíblica Nacional foi, em 1997, considerada apta a conferir habilitações aos Professores de Educação Moral e Religiosa Evangélica (despacho conjunto n.º 179/97 do Diário da República, - II série n.º 171, de 26/6/77).



MEIBAD © WorkMove